CESE elege austríaca Christa Schweng como presidente

This page is also available in

Unidos pelo futuro da Europa: a nova presidente está determinada em restabelecer a unidade e a reputação do CESE e em demonstrar o valor acrescentado do Comité para influenciar a definição das políticas a nível da UE

A austríaca Christa Schweng assumiu o cargo de 33.º presidente do Comité Económico e Social Europeu (CESE), sendo a quinta mulher a dirigir o órgão da UE que representa a sociedade civil organizada desde a sua criação, em 1958. Os dois novos vice-presidentes eleitos para integrarem a Presidência do CESE são Giulia Barbucci (Itália), responsável pelo Orçamento, e Cillian Lohan (Irlanda), responsável pela Comunicação.

O CESE nomeou a sua nova Presidência em 28 de outubro, no segundo dos três dias da sua reunião plenária inaugural, que marca o início do mandato 2020-2025 do CESE, em que mais de 40% dos seus 329 membros são novos. Devido às restrições rigorosas provocadas pela COVID-19, toda a reunião inaugural está a ser realizada em linha, à exceção da sessão de abertura, realizada à distância mas presidida presencialmente pelo decano do CESE, Raymond Coumont, a partir do hemiciclo vazio do Parlamento Europeu.

No seguimento da sua nomeação, Christa Schweng declarou: Este mandato será marcado pela pandemia de COVID-19 e, infelizmente, por um período de incerteza e de dificuldades económicas e sociais, em que as empresas lutam por sobreviver e muitos trabalhadores perdem os seus empregos. No contexto atual, devemos mais do que nunca unir forças, construir uma visão para uma nova Europa pós-COVID-19 e fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para assegurar que o nosso Comité dê um contributo importante para a recuperação e a resiliência futura da Europa. Tal será acompanhado da reconstrução de um CESE mais unido, eficaz e prestigioso.

Por esta razão, o lema da nova Presidência de Christa Schweng é Unidos pelo futuro da Europa.

A nova presidente comprometeu-se a agir imediatamente para restabelecer a reputação do CESE e a confiança na instituição, depois de o Comité ter reafirmado recentemente o seu firme empenho na luta contra o assédio no local de trabalho.

Precisamos de um Comité que seja unido e respeite os mais elevados princípios éticos, um Comité com uma imagem excelente, afirmou Christa Schweng, acrescentando que o Código de Conduta dos Membros e o Regimento do CESE serão reforçados no início do seu mandato.

Uma vez que a Presidência do CESE muda a meio do mandato, o mandato da nova Mesa, liderada por Christa Schweng, que substitui o seu antecessor, Luca Jahier, terá a duração de dois anos e meio, até março de 2023.

O programa da presidente basear-se-á nas seguintes prioridades, que estão em consonância com a sua visão de uma Europa pós-COVID-19 que permita aos cidadãos prosperar e viver numa sociedade aberta e assente em valores: uma Europa economicamente próspera, uma Europa socialmente inclusiva, e uma Europa sustentável do ponto de vista ambiental.

A quarta prioridade consiste em assegurar que o CESE desempenhe um papel fundamental na Conferência sobre o Futuro da Europa, uma iniciativa importante que deve demonstrar aos europeus que a UE também é da sua responsabilidade, dando-lhes a oportunidade de debater os principais temas europeus, com o objetivo de melhorar o funcionamento da União.

O programa da presidente defende que o desenvolvimento sustentável deve tornar-se uma forma de pensar e constituir a base para uma economia competitiva, sem deixar ninguém para trás. As transições digital e ecológica devem ser integradas em todos os domínios de intervenção.

A nova vice-presidente responsável pelo Orçamento, Giulia Barbucci, afirmou: É da nossa responsabilidade mostrar aos cidadãos europeus que a UE e o seu modelo social único podem contribuir para encontrar uma saída da crise. Neste momento delicado, o CESE tem um papel fundamental a desempenhar. Somos a voz da sociedade civil organizada e dos parceiros sociais na Europa. Empenhamo-nos todos os dias em promover a democracia e construir uma UE mais participativa.

O novo vice-presidente responsável pela Comunicação, Cillian Lohan, afirmou: Os contributos do CESE são o resultado do nosso trabalho incessante para oferecer perspetivas valiosas e únicas que têm o apoio de diferentes grupos da sociedade civil organizada, o que é crucial. O nosso trabalho tem de chegar às instituições da UE com uma voz forte e clara. E também dialogaremos na outra direção – com as nossas redes nacionais, num processo iterativo que nos ajudará a conceber soluções que produzam resultados para todos e a dar o exemplo, restituindo a participação ativa à democracia participativa.

A presidente apresentará o programa durante o seu discurso, que será pronunciado à distância na reunião plenária inaugural de 29 de outubro. Pode seguir a reunião aqui.

 

Contexto

 

  • Os cargos de presidente e dos dois vice-presidentes são eleitos por maioria simples na reunião inaugural da Assembleia. São nomeados, de forma rotativa, de entre cada um dos três grupos do CESE (Grupo dos Empregadores, Grupo dos Trabalhadores e Grupo Diversidade Europa), para um mandato de dois anos e meio. Tal significa que são eleitos duas vezes por cada mandato do CESE – no início e a meio do mandato. O presidente é responsável pela realização adequada das atividades do Comité e representa o CESE nas suas relações com os outros órgãos e instituições. Os dois vice-presidentes – escolhidos de entre os membros dos dois grupos a que não pertence o presidente – são responsáveis pela Comunicação e pelo Orçamento, respetivamente.
  • O CESE é composto por 329 membros, oriundos dos 27 Estados-Membros. Os membros do Comité são propostos pelos governos dos Estados-Membros e nomeados pelo Conselho da União Europeia por um período de 5 anos. Trabalham então de forma independente, defendendo os interesses de todos os cidadãos da UE. Os membros não são políticos, mas sim empregadores, sindicalistas e representantes de diversos setores da sociedade, tais como organizações de agricultores, consumidores e ambientalistas, a economia social, as PME, as profissões liberais e as associações representantes de pessoas com deficiência, o voluntariado, a igualdade de género, os jovens, o mundo académico, etc. O novo mandato do CESE – o XVI desde a sua criação em 1958 – decorrerá de outubro de 2020 a setembro de 2025.