Sustentabilidade alimentar

This page is also available in:

A alimentação está no centro das nossas vidas e faz parte integrante da cultura europeia. No entanto, os alimentos que consumimos, a forma como os produzimos e as quantidades desperdiçadas têm um grande impacto na saúde humana, nos recursos naturais e na sociedade como um todo:

  • os cidadãos – e, em particular, as crianças – sofrem cada vez mais de excesso de peso e obesidade devido a dietas pouco saudáveis;
  • os agricultores e os trabalhadores não recebem um preço justo pelo seu trabalho;
  • um terço dos alimentos é perdido ou desperdiçado ao longo da cadeia alimentar;
  • os efeitos do modelo atual de produção e consumo dos alimentos repercutem-se de forma dramática no ambiente, nomeadamente nas alterações climáticas, na perda de biodiversidade, na poluição do ar e da água e na degradação dos solos.

A pandemia de COVID-19 é um sinal de alerta para a mudança. A crise demonstrou que a obtenção de alimentos «do prado para o prato» está longe de constituir um dado adquirido e revelou a interconexão entre os intervenientes e as atividades em todo o sistema alimentar. São necessárias, mais do que nunca, cadeias de abastecimento justas, eficientes em termos de recursos, inclusivas e sustentáveis em todo o setor agrícola e alimentar, a fim de proporcionar os mesmos resultados aos cidadãos, agricultores, trabalhadores e empresas.

Há vários anos que o CESE é um dos principais defensores de uma política alimentar sustentável e abrangente. Este tipo de abordagem integrada e sistemática é fundamental para fazer face à natureza múltipla e inter-relacionada dos desafios que afetam os sistemas alimentares; para alcançar a sustentabilidade económica, ambiental e sociocultural; para assegurar a integração e coerência das políticas nos vários domínios de intervenção (por exemplo, na agricultura, ambiente, saúde, educação, comércio, economia e tecnologia); e para promover a cooperação entre os vários níveis de governação.

  • Adotados on 14/07/2011
    Referência
    NAT/497-EESC-2011-1178
    Civil Society Organisations - GR III
    Finland
    Plenary session number
    473
    -
    The EESC is strongly of the view that agriculture is an extremely important sector for the economic, social and regional development of the partnership countries. Meeting the objectives set will require favourable agricultural development. Investing in agriculture and developing the sector are also key conditions for reducing poverty in rural areas.
    EESC Opinion: The Eastern Partnership and the eastern dimension of EU policies, with emphasis on agriculture
  • Adotados on 05/05/2011
    Referência
    NAT/506-EESC-2011-813
    Civil Society Organisations - GR III
    United Kingdom
    Plenary session number
    471
    -
    EESC Opinion: Organic production and labelling
  • Adotados on 05/05/2011
    Referência
    NAT/503-EESC-2011-810
    Civil Society Organisations - GR III
    Bulgaria
    Plenary session number
    471
    -
    EESC Opinion: Contractual relations in the milk and milk products sector
  • Adotados on 05/05/2011
    Referência
    NAT/504-EESC-2011-01-01-811
    Employers - GR I
    Spain
    Plenary session number
    471
    -
    EESC Opinion: Agricultural product quality schemes
  • Adotados on 20/01/2011
    Referência
    NAT/483-EESC-2011-68
    Civil Society Organisations - GR III
    Spain
    Plenary session number
    468
    -
    EESC Opinion: Fruit Juices
  • Adotados on 09/12/2010
    Referência
    NAT/468-EESC-2010-1622
    Civil Society Organisations - GR III
    Austria
    Plenary session number
    467
    -
    EESC Opinion: Security of supply in agriculture and the food sector in the EU
  • Adotados on 28/04/2010
    Referência
    NAT/455-EESC-2010-648
    Employers - GR I
    Spain
    Civil Society Organisations - GR III
    Spain
    Plenary session number
    462
    -
    Strengthening the European agri-food model
  • During its section meeting of 22 November 2023, the NAT section held a debate on food speculation as a follow up of its opinion on "Food price crisis: the role of speculation and concrete proposals for action in the aftermath of the Ukraine war".

  • Fair prices for both farmers and consumers and truthful and transparent information are essential if the primary sector and consumers are to play their key role in guaranteeing strategic autonomy in European food production. This sovereignty must be in line with the European Green Deal's Farm to Fork strategy, which requires an adjustment of current food policies.

  • Speech by President Séamus Boland on EU food sovereignty

    Inaugural speech by Séamus Boland, President of the Civil Society Organisations' Group of the European Economic and Social Committee (EESC)

    Conference on 'EU food sovereignty: the role of agriculture, fisheries and consumers', Santiago de Compostela, Spain, 26 September 2023