Luca Jahier: homenagem a David Sassoli, presidente do Parlamento Europeu, falecido em 11 de janeiro de 2022

Hoje, estamos pesarosos e invadidos por um vazio incolmatável devido à perda de um amigo, de um jornalista que deixou a sua marca, de um político completo como poucos, de um grande europeísta. Sobre ele, podemos dizer que mudou verdadeiramente a história da União Europeia durante a pandemia, mantendo aberto o Parlamento Europeu e ficando sempre próximo dos mais fracos, incluindo com iniciativas completamente invulgares, como quando, na primeira vaga da pandemia, fez evacuar um dos edifícios do Parlamento para o colocar à disposição como espaço de recuperação e abrigo para mulheres e mães solteiras com COVID.

A Europa tem ainda muito a dizer, se soubermos dizê-lo juntos. Se formos capazes de colocar as disputas políticas ao serviço dos nossos cidadãos, se o Parlamento der ouvidos aos seus anseios, às suas apreensões e às suas necessidades. Será este o legado político de David Sassoli, que norteou todo o seu percurso como presidente do Parlamento Europeu, eleito quase por surpresa depois das eleições europeias de 2019.

A capacidade de fomentar acordos num Parlamento muito mais dividido do que os anteriores, conseguindo assegurar à presidente indigitada Ursula von der Leyen uma maioria mais ampla do que a dos seus predecessores, em torno de um programa político altamente transformativo e inteiramente orientado para as transições necessárias para uma Europa sustentável, inovadora, assente nos valores e nos direitos, social e estrategicamente autónoma. A capacidade de constituir um ponto de referência sólido na adoção de todas as medidas necessárias para enfrentar o surto da pandemia, assegurando a máxima participação democrática nas muitas decisões urgentes que mudaram a face da Europa. Até ao impulso decisivo, que permitiu transformar, em poucos meses, as propostas de Emmanuel Macron e Angela Merkel e da Comissão Europeia no maior plano de recuperação e resiliência que a história europeia conheceu. Graças a um apoio unitário do Parlamento Europeu, raramente visto antes.

Foi um homem, um jornalista e um político bondoso e honrado, capaz de compreender a verdadeira dimensão das coisas, e de si mesmo. Uma das poucas pessoas a que nem a imagem nem os altos cargos deram um (falso) sentido de omnipotência. David Sassoli fez de três dos seus dons naturais (a coerência, a lealdade e a cortesia) as três armas mais poderosas da sua vida e da sua ação política. Dado que tive muitas vezes de o contactar diretamente, não posso senão recordar que o seu sorriso e o seu olhar, que procurava sempre estabelecer uma relação pessoal com cada interlocutor, eram a verdadeira marca da sua ação e dos seus êxitos.

Um exemplo para todos nós: saber sorrir a todos, e desta inteligente lhaneza extrair a energia para agir em conjunto e para servir. Eram as suas raízes de católico democrático, tomado de uma espiritualidade viva e profunda, inspirada por David Maria Turoldo (cujo nome ostentava), Giuseppe Dossetti e Giorgio La Pira, cujo legado popularizou enquanto jornalista.

Extraio as seguintes palavras da sua última mensagem, gravada com os seus votos natalícios poucos dias antes de ser novamente hospitalizado: «A esperança somos nós, quando não fechamos os olhos diante das pessoas necessitadas, quando não erigimos muros nas nossas fronteiras, quando combatemos todas as injustiças; felicidades para nós e para a nossa esperança.»

Obrigado, David. Um abraço à Sandra, e aos filhos que tanto amaste.

Luca Jahier

< lang="IT" style="color:black">Este artigo foi publicado no sítio Web italiano VITA em 11.1.2022.

Luca Jahier, jornalista italiano, membro do Comité Económico e Social Europeu desde 2002 e seu presidente de 2018 a 2020.