Na reunião plenária de julho, o CESE acolheu os representantes das organizações da sociedade civil dos países candidatos à adesão e anunciou a iniciativa que visa nomear membros honorários dos países do alargamento e convidá-los a participar nos trabalhos consultivos diários do Comité

Como primeiro passo concreto para alcançar esse objetivo, o CESE organizou um debate na sua reunião plenária de julho sobre a importância da sociedade civil no processo de alargamento da UE. O presidente do CESE, Oliver Röpke, assinou também um memorando de entendimento com o Conselho de Cooperação Regional (CCR) para impulsionar a participação estruturada da sociedade civil e dos jovens na promoção da paz e da prosperidade na Europa do Sudeste.

O comissário da Vizinhança e Alargamento, Olivér Várhelyi, elogiou a iniciativa do CESE «Membros honorários dos países do alargamento», que permitirá manter a política do alargamento no topo da agenda da UE. 

O primeiro-ministro da Moldávia, Dorin Recean, salientou que esta nova iniciativa do CESE vem no momento certo e reforçará a cooperação com a sociedade civil moldava. 

Majlinda Bregu, secretária-geral do CCR, afirmou: «No CCR não conseguimos conceber a coordenação dos esforços regionais no âmbito da ambiciosa agenda verde para os Balcãs Ocidentais sem o nosso fórum consultivo das organizações da sociedade civil, nem a coordenação de esforços no sentido de um mercado regional sem a participação ativa das nossas câmaras de comércio.» 

Bosko Savkovic, da Associação Patronal da Sérvia, elogiou a sociedade civil sérvia por erguer a sua voz e combater a desinformação estrangeira e pelas suas iniciativas que recordam à população sérvia a perspetiva de adesão à UE. 

Oleksandr Yavorskyi, da Federação dos Empregadores da Ucrânia, declarou: «A Ucrânia escolheu iniciar o seu trajeto rumo à integração na UE muito antes do início da guerra. Os parceiros sociais e a sociedade civil ucranianos precisam agora de uma formação adequada que os prepare para o processo de adesão.»

Anisa Subashi, vice-presidente da Confederação dos Sindicatos da Albânia, destacou o papel desempenhado pelos sindicatos no reforço do diálogo social, em particular num momento em que o governo albanês procura reduzir o espaço da sociedade civil. 

Dajana Cvjetkovic, do Centro de Promoção da Sociedade Civil da Bósnia-Herzegovina, e Daliborka Uljarevic, diretora executiva do Centro para a Educação Cívica do Montenegro, sublinharam ambas o papel da sociedade civil no processo de alargamento. «Somos os pilares da nossa sociedade e damos voz às aspirações dos nossos concidadãos. Somos os aliados mais próximos das instituições da UE e esta iniciativa permitirá aprofundar ainda mais a nossa cooperação», afirmou Daliborka Uljarevic. (mt)