CESE apela a ação europeia para assegurar o desenvolvimento participativo da tecnologia de cadeia de blocos

Originalmente associadas às criptomoedas, a tecnologia de cadeia de blocos e de livro-razão distribuído são, na realidade, muito versáteis e podem ser aplicadas de forma profícua na economia social. Importa, contudo, que estas tecnologias sejam reguladas corretamente e orientadas para a obtenção de benefícios para todos, permitindo a participação de todos os cidadãos, afirma o CESE num parecer adotado na reunião plenária de julho.

O CESE elaborou uma longa lista de aplicações possíveis para a tecnologia de cadeia de blocos e de livro-razão distribuído, que podem revestir-se de grande interesse para as empresas da economia social. Estas aplicações incluem: rastrear as doações e a recolha de fundos, melhorar a governação das organizações da economia social, autenticar atividades, certificar competências, tornar os direitos de propriedade intelectual e os direitos de autor mais claros e mais seguros, fornecer sistemas de telemedicina e teleassistência seguros e tornar os produtos agrícolas totalmente rastreáveis e identificáveis.

No entanto, o enorme potencial das novas tecnologias digitais, associado ao investimento considerável necessário, também expõe a tecnológica de cadeia de blocos ao risco de concentração e de apropriação especulativa de dados e redes tecnológicas, adverte o CESE.

É importante que se prevejam medidas públicas para apoiar o desenvolvimento participativo e acessível destas tecnologias, e é fundamental assegurar o envolvimento da sociedade civil.

A regulamentação a nível da UE faz sentido, uma vez que esta tecnologia utiliza cadeias que podem ser criadas independentemente das fronteiras nacionais. Os grandes investimentos necessários exigem uma ação coordenada e estruturada a nível europeu.

Leia o Parecer do CESE –Tecnologia de cadeia de blocos e de livro-razão distribuído como infraestrutura ideal para a economia social (dm)