Agricultura europeia deve avançar no sentido da agroecologia

A UE deve colocar maior ênfase nas cadeias de abastecimento curtas e na agroecologia aplicada à agricultura, a fim de preservar a sua agricultura e torná-la mais resistente a novos desafios, como as alterações climáticas. A agroecologia é também uma forma de garantir o nosso abastecimento alimentar e de tornar os nossos alimentos mais saudáveis, aumentando assim o seu valor. As cadeias de abastecimento curtas ajudarão as explorações agrícolas mais pequenas a aumentar o seu rendimento e dinamizarão as zonas rurais.

«As iniciativas das cadeias de abastecimento curtas têm potencial para criar emprego e crescimento e, portanto, riqueza, em especial nas zonas rurais. Por conseguinte, o desafio consiste em capacitar os operadores para criarem sistemas alimentares locais assentes na governação local. A digitalização desempenha, e continuará a desempenhar, um papel essencial, tanto na produção e processamento como na compra e venda», explica Geneviève Savigny, relatora do Parecer – Promover cadeias de abastecimento alimentar alternativas e curtas na UE: o papel da agroecologia.

A fim de implantar o projeto agroecológico em toda a Europa, o CESE propõe um plano de ação estruturado e multifacetado, com a participação dos níveis regional, nacional e europeu. Os programas existentes devem também ser reorientados para medidas de apoio à agroecologia e às cadeias de abastecimento curtas.

Uma política alimentar abrangente, que o CESE advoga há anos e de que poderá ser o promotor, pode proporcionar o quadro para o plano de ação. (sma)