Edição de 2018 de «A tua Europa, a tua voz!»: Ideias inspiradoras rumo à unidade numa cultura europeia diversificada

This page is also available in

Os jovens europeus consideram que mais oportunidades de aprendizagem de línguas através da viagem, maior facilidade de acesso a sítios culturais europeus e a preservação da nossa cultura através do artesanato e da gastronomia nacionais podem inspirar os jovens a partir à descoberta de diferentes culturas e ajudá-los a compreender melhor o nosso património cultural comum. Estas recomendações destinadas aos decisores políticos da UE foram sugeridas por 99 alunos de toda a Europa, que participaram este ano no evento anual para jovens «A tua Europa, a tua voz!», organizado pelo Comité Económico e Social Europeu (CESE), que teve lugar em Bruxelas pelo nono ano consecutivo.

As ideias mais votadas para defender a cultura europeia

Em 15 e 16 de março, o CESE acolheu alunos de 33 escolas secundárias de 28 Estados-Membros da UE e de 5 países candidatos à adesão. Sendo 2018 o Ano Europeu do Património Cultural, a edição deste ano de «A tua Europa, a tua voz!» centrou-se também na cultura sob o lema «Unidos na diversidade: um futuro mais jovem para a cultura europeia».

O vice-presidente do CESE, Gonçalo Lobo Xavier, sublinhou a importância de ouvir a opinião dos jovens e de ter em conta as suas ideias. «Este projeto incrível que dá pelo nome de Europa é de todos, todos contribuem para a sua construção e todos têm uma palavra a dizer. É precisamente por isso que estão aqui», disse Gonçalo Lobo Xavier ao dar as boas-vindas aos alunos.

Os alunos tiveram oportunidade de discutir, em debates e seminários intensos, a forma de preservar o património cultural europeu e de torná-lo mais aliciante para os jovens europeus. As ideias avançadas incluíram questões importantes e muito debatidas na Europa, como a igualdade, a segurança e a integração, que podem ser melhoradas através de atividades culturais. Das 10 recomendações concretas destinadas aos decisores políticos da UE, as três propostas mais interessantes foram selecionadas por votação:

  1. Oportunidade de descobrir outras culturas através da viagem. Este projeto propõe a criação de um programa especial de intercâmbio de jovens com cursos de línguas no estrangeiro, que permitiria aos alunos viver em famílias de acolhimento e conhecer novas culturas. «Partir à descoberta de diferentes culturas permite-nos apreciá-las muito mais e faz-nos ter orgulho em sermos europeus», explicou a aluna cipriota, que apresentou esta recomendação;
  2. Preservar a cultura, aprender com o passado e usá-lo para construir o futuro. Esta recomendação tem como objetivo criar a Casa da Gastronomia da União Europeia em cada Estado-Membro. «Quando pedíssemos, num restaurante, um prato nacional específico, o empregado de mesa colocaria ao lado uma pequena nota explicativa do contexto histórico em que foi criado, o que contribuiria para aumentar a tolerância entre as nações», afirmou uma delegada da Eslovénia. Além disso, o grupo de alunos propôs a criação de um programa de apoio a pequenas lojas de artesanato tradicional, a fim de preservar a nossa cultura popular tradicional;
  3. Experimentar a cultura. Este projeto tem por objetivo levar a cultura e o património cultural a todas as pessoas através da criação de festivais temáticos itinerantes e da promoção dos museus fora das grandes cidades. «É um ideal que devemos procurar realizar porque pode enriquecer-nos. É muito mais interessante estarmos abertos a outras culturas. Mas não tenho a certeza de que, atualmente, a cultura europeia seja tangível e acessível», afirmou uma delegada da França.

Cultura – O coração da Europa

Os adolescentes europeus tiveram oportunidade de falar com membros do CESE, peritos e artistas sobre a importância de preservar e promover o nosso património cultural.

«Não podemos construir a Europa se não dermos mais destaque à nossa cultura e ao nosso património cultural. Durante demasiado tempo, a Europa foi construída principalmente através da economia, das finanças e do mercado», afirmou Sneška Quaedvlieg-Mihailović, secretária-geral da Europa Nostra, uma organização cuja missão é salvaguardar o património cultural e natural da Europa. «Estes são aspetos extremamente importantes para aproximar as economias e as sociedades. Mas o que constitui o coração e a alma da Europa? É a cultura e o património cultural», acrescentou.

Sneška Quaedvlieg-Mihailović sublinhou igualmente que uma vez que a Europa possui um património cultural comum, os seus cidadãos têm uma responsabilidade partilhada na sua preservação.

Por seu turno, o presidente do CESE, Georges Dassis, sublinhou que muitos europeus têm hoje uma vida privilegiada, referindo que não era este o caso em toda a parte e que nem sempre foi assim na Europa. «É muito importante incentivar os jovens a assumirem a responsabilidade de ficarem a conhecer o que já foi feito, mas também de o melhorarem. Temos de trabalhar em conjunto e, em especial, com os jovens, pois sem vocês nada acontecerá», afirmou Georges Dassis.

O CESE assegurará que as três propostas que receberam o maior número de votos sejam tidas em conta nas recomendações do Comité aos legisladores da UE. Além disso, a secretária-geral da Europa Nostra, Sneška Quaedvlieg-Mihailović, manifestou o seu interesse em apresentar estas recomendações na Cimeira Europeia do Património Cultural, que terá lugar este verão em Berlim.

Todos os anos, o CESE seleciona por sorteio 33 escolas secundárias – uma por Estado-Membro e país candidato — e convida-as a participar nesta iniciativa anual única para os jovens. Dada a crescente popularidade do evento «A tua Europa, a tua voz!», o vice-presidente, Gonçalo Lobo Xavier, sugeriu a criação de uma rede de antigos e atuais alunos e professores que tenham participado.

Para mais informações sobre «A tua Europa, a tua voz!», consulte: https://www.eesc.europa.eu/pt/agenda/our-events/events/your-europe-your-say-2018.

Downloads