Na reunião plenária do CESE, em 20 de setembro, os organizadores da Iniciativa de Cidadania Europeia (ICE) «Minority SafePack» apresentaram a sua proposta, que visa melhorar a proteção das minorias nacionais e linguísticas na Europa

Os proponentes da quinta ICE bem-sucedida, representados por Loránt Vincze, agradeceram o CESE por ser a primeira instituição europeia a proporcionar uma plataforma à iniciativa. 

Os promotores desta ICE bem-sucedida consideram que os direitos das minorias nacionais e linguísticas nem sempre são respeitados e, em muitos casos, as línguas e as culturas das minorias são mesmo colocadas em risco.

Na sua intervenção, Loránt Vincze também criticou a ICE, por considerar tratar-se de um instrumento demasiado complexo e oneroso para os cidadãos comuns. Esta foi também uma das principais queixas do CESE durante muitos anos, que acabou por convencer a Comissão da necessidade de uma revisão deste importante instrumento para garantir a participação dos cidadãos a nível da UE. Esta revisão está em curso, e a Comissão, o Parlamento e o Conselho já lançaram consultas oficiais.

Os organizadores ainda não tenham decidido quando apresentar a sua ICE oficialmente à Comissão. Loránt Vincze explicou que, uma vez que não estão constrangidos por qualquer prazo, gostariam primeiro de reunir-se com decisores políticos da UE a alto nível, para avaliar qual será o melhor resultado possível da iniciativa.

O presidente do CESE, Luca Jahier, que fez do património cultural da Europa uma das prioridades da sua presidência, reconheceu o grande êxito da iniciativa, e afirmou que este resultado mostra que os cidadãos europeus podem construir o futuro da Europa, desde que trabalhem em conjunto e façam ouvir a sua voz em uníssono.