Setor ferroviário: modelo para uma transição harmoniosa e inclusiva para a era digital

Num parecer de iniciativa adotado em outubro, a Comissão Consultiva das Mutações Industriais (CCMI) do Comité Económico e Social Europeu (CESE) apelou para uma transição setorial inclusiva para um setor ferroviário digitalizado e convidou a Comissão Europeia a lançar uma iniciativa para mobilização do investimento necessário no valor de 100 mil milhões de euros.

«Acelerar a digitalização implica acelerar também a implantação do Sistema Europeu de Gestão do Tráfego Ferroviário», afirmou o relator, Alberto Mazzola. Ao que acrescentou: «O setor do transporte ferroviário pode tornar-se no eixo central do desenvolvimento da vertente "mobilidade" de uma identidade digital europeia, através de um enquadramento regulamentar que promova a concorrência e a inovação».

Do topo da agenda deve igualmente constar a elaboração de um quadro técnico e jurídico. «Os parceiros sociais europeus têm de estabelecer um diálogo para antecipar e atenuar o impacto da automação e da digitalização, assegurando, assim, uma transição justa», frisou o correlator, Guy Greivelding.

Na transição para um sistema ferroviário digitalizado importa igualmente ter em consideração o aspeto da segurança e adotar medidas destinadas a desenvolver uma cibersegurança sólida. Por conseguinte, o CESE recomenda uma colaboração mais estreita, neste domínio, entre a Agência da União Europeia para a Cibersegurança e a Agência Ferroviária da União Europeia. (sma)