Desenvolvimento sustentável deve ser prioridade máxima para o futuro da Europa

O desenvolvimento sustentável deve estar no cerne do futuro da Europa. Na resolução elaborada por Patricia Círez Miqueleiz, Rudy De Leeuw e Lutz Ribbe, adotada na reunião plenária de outubro, o CESE aconselha a Comissão Europeia a estruturar o seu futuro plano de trabalho para 2020 e mais além em torno deste pilar. O Comité apela para a adoção a nível da UE de uma estratégia global de desenvolvimento sustentável até 2050 com vista ao cumprimento da Agenda 2030 das Nações Unidas e dos seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que a União Europeia se comprometeu a realizar até 2030.

«É para nós motivo de regozijo participarmos, de forma eficaz e equilibrada, na definição das prioridades políticas da UE para os próximos cinco anos. Apoiamos o Pacto Ecológico defendido pela presidente eleita da Comissão, Ursula von der Leyen, como um dos principais motores da mudança. É imperativo agir simultaneamente a todos os níveis e criar uma dinâmica de ação para fazer face aos urgentes desafios ambientais, económicos e sociais», afirmou o presidente do CESE, Luca Jahier.

O CESE salienta que a amplitude e o ritmo acelerado da mudança exigem que sejam tomadas rapidamente medidas em quatro domínios: alterações climáticas, digitalização, Estado de direito e globalização. O Comité afirma igualmente que é fundamental adotar uma nova estrutura de governação da UE, bem como novas regras e instrumentos para a definição e a execução das políticas da UE. Importa, em particular, reforçar o papel do Parlamento Europeu com vista a uma maior responsabilização democrática. O CESE contribui ativamente para a Conferência sobre o Futuro da Europa, proposta por Ursula von der Leyen para 2020.