No seu parecer sobre o Documento de Reflexão – Para uma Europa sustentável até 2030, o Comité Económico e Social Europeu (CESE) defende que se quisermos atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas até 2030, temos de agir agora.

«A ação política não está a refletir a urgência de enfrentar os atuais desafios», alerta o CESE no seu parecer. Segundo o relator, Cillian Lohan, «a ciência é clara quanto às consequências da inação. O lançamento de um Pacto Ecológico e Social Europeu será importante para dar um rumo mais sustentável às economias europeias».

O assunto foi objeto de debate mais aprofundado numa conferência sobre este tema, organizada pelo CESE, em conjunto com a Presidência finlandesa da UE e o CR.

«Recentemente, têm-se verificado progressos promissores na UE. A presidente indigitada, Ursula von der Leyen, pretende acelerar a transição para a sustentabilidade através de um Pacto Ecológico Europeu, que será da responsabilidade direta de um vice-presidente», afirmou o presidente do CESE, Luca Jahier. O representante finlandês, Sami Pirkkala, destacou a oportunidade de a UE dar um salto em frente em matéria de sustentabilidade e, Daniel Calleja Crespo, diretor-geral da DG ENV, salientou o compromisso da presidente indigitada da Comissão de apresentar legislação europeia em matéria de clima, bem como um novo Plano de Ação para a Economia Circular.

«Há que pôr fim à obsessão com o crescimento do PIB e adotar outros indicadores de prosperidade», asseverou Peter Schmidt, correlator do parecer. «Temos de mostrar ao mundo que uma economia verdadeiramente sustentável promove o desenvolvimento económico, assegura o bem-estar ecológico e reforça a coesão social, não deixando ninguém para trás.» (sma)