A cooperação e a parceria entre os governos e a sociedade civil serão cruciais para completar as reformas ambiciosas necessárias para o aprofundamento da União Económica e Monetária (UEM), concluiu um painel de alto nível de altos funcionários da UE e peritos na reunião plenária do Comité Económico e Social Europeu.

O debate, presidido por Luca Jahier, presidente do CESE, contou com a participação de Valdis Dombrovskis, vice-presidente da Comissão Europeia, Louka Katseli, antiga ministra da Economia da Grécia, Christian Ebeke, do Fundo Monetário Internacional, e Tuomas Saarenheimo, do Ministério das Finanças da Finlândia.

Os oradores concordaram que era igualmente importante ter em conta os aspetos económicos, sociais e ambientais para reforçar o papel social do Semestre Europeu.

Valdis Dombrovskis anunciou que o aprofundamento da UEM seria uma das prioridades da próxima Comissão. Elogiando o papel da sociedade civil e o seu importante contributo para transformar os atuais desafios em oportunidades, Valdis Dombrovskis louvou o trabalho do CESE no domínio dos direitos sociais dos trabalhadores, mas também nos debates em curso sobre o futuro da UEM.

A concluir o debate, o presidente do CESE afirmou: «Apoiamos o reforço da UEM, porque sabemos que, na economia de hoje – globalizada, altamente competitiva e em rápida evolução –, nenhum Estado da UE consegue prosperar sozinho.» (ks/ll)