Consequências do trabalho 4.0 mais duras quando parceiros sociais são mais fracos

Grupo dos Trabalhadores do CESE

Um estudo encomendado pelo Grupo dos Trabalhadores do CESE sobre as estratégias nacionais em matéria de trabalho 4.0 revela que a participação dos parceiros sociais é essencial e que os trabalhadores sofrem consequências mais duras nos setores em que a negociação coletiva diminuiu.

O ritmo da transformação digital e os novos desafios que coloca em matéria de regulamentação e qualidade de emprego requerem respostas políticas abrangentes. De acordo com estimativas da OCDE, 14% dos postos de trabalho estão em risco de serem automatizados e 31% sofrerão alterações significativas nos próximos 15 a 20 anos.

Os resultados do estudo indicam que, no futuro, haverá forte procura de trabalhadores altamente especializados e uma erosão dos empregos de média especialização, com salários médios: em suma, as desigualdades aumentarão.

O estudo remete para as conclusões da OIT sobre a economia das plataformas, em que lacunas ou zonas cinzentas da legislação, que proporcionaram um terreno fértil para o desenvolvimento de condições de trabalho atípicas e de baixa qualidade, levaram ao declínio da negociação coletiva em alguns países.

Intitulado «Overview of the national strategies on work 4.0: a coherent analysis of the role of the social partners» [Panorama das estratégias nacionais para o trabalho 4.0: uma análise coerente do papel dos parceiros sociais], o estudo preconiza:

  • o reforço do diálogo social através da participação direta dos parceiros sociais na definição de uma transição digital justa que garanta emprego de qualidade e salários dignos;
  • regimes de proteção social universais;
  • normas de segurança e de saúde no trabalho atualizadas à luz das novas tecnologias;
  • a antecipação das necessidades de criação de emprego e
  • a conceção de programas de formação.

O estudo será oficialmente apresentado e debatido em 18 de outubro de 2018, por ocasião de um evento organizado pelo Grupo dos Trabalhadores. (prp)