CESE insta a Presidência austríaca da UE a utilizar o seu poder como ponte para reforçar a unidade da Europa

A migração foi um dos principais temas abordados por Gernot Blümel, ministro federal dos Assuntos da UE, das Artes, da Cultura e dos Média da Áustria, quando da apresentação do programa da Presidência austríaca na reunião plenária do CESE em 11 de julho.

«A UE poderá falhar no que diz respeito à migração, a Schengen e à defesa dos valores fundamentais. Mais do que uma Europa que protege, devemos defender uma Europa que protege, promove e partilha», afirmou o presidente do CESE, Luca Jahier.

Gabriele Bischoff, presidente do Grupo dos Trabalhadores, afirmou que os trabalhadores tinham uma conceção diferente do que é uma Europa que protege, referindo que «sobretudo numa altura em que há cada vez menos confiança na Europa, os cidadãos precisam de saber que a Europa é capaz de garantir os seus direitos e liberdades».

Arno Metzler, presidente do Grupo Diversidade Europa, afirmou: "Espero que a presidência austríaca defenda a humanidade e assegure que trabalhamos juntos. A migração é apenas um aspeto, mas temos de trabalhar em conjunto também noutros domínios, como o comércio digital, o comércio livre, a participação dos cidadãos e o QFP».

Jacek Krawczyk, presidente do Grupo dos Empregadores, sublinhou que a Europa é também uma comunidade de valores, que não são negociáveis, tendo acrescentado que «a Europa continua numa encruzilhada. Temos de ser claros sobre o rumo que queremos tomar. Minar o espaço Schengen teria consequências devastadoras para as empresas e para todos os cidadãos».

O ministro Gernot Blümel pronunciou-se a favor do plano de centros de migrantes fora da Europa. «Enquanto for possível apanhar um barco que poderá ser um bilhete para entrar na Europa, as pessoas continuarão a perder a vida no Mediterrâneo», afirmou. (sma)