O futuro da Europa – perspetivas dos empregadores

pelo Grupo dos Empregadores do CESE

Mais coerente, mais unida e menos burocrática – é assim que os empregadores veem a Europa do futuro. A comunidade empresarial continua a apoiar firmemente a Europa e pretende desempenhar um papel ativo na definição do futuro da UE. Os participantes na conferência sobre «O futuro da União Europeia – perspetivas dos empregadores», realizada em 21 de junho de 2018 em Madrid, Espanha, destacaram exemplos concretos de lacunas na UE e identificaram soluções para o futuro.

Se esquecermos os valores europeus, perderemos a UE – afirmou José Vicente González, vice-presidente da Confederação Espanhola das Organizações Empresariais (CEOE), no seu discurso de abertura. O futuro da Europa deve ser considerado no contexto mundial. Há que enfrentar desafios geopolíticos, como a atual política dos EUA ou os fluxos migratórios.

A União Europeia atravessa crise após crise, especialmente hoje, num momento em que se assiste a uma mudança radical na ordem mundial que conhecemos, temos de permanecer unidos e agir com ambição e coragem. Os empregadores são uma solução, e não um problema – afirmou Jacek Krawczyk, presidente do Grupo dos Empregadores. Não devemos ter medo de continuar a construir uma Europa unida, ou de agir de forma unitária e solidária. Nem devemos ter medo de enunciar, alto e bom som, as necessidades das empresas para funcionarem.

O debate centrou-se em dois aspetos do futuro da UE – o mercado interno e a União Económica e Monetária. O excesso de regulamentação continua a ser um problema para as empresas europeias. Em muitos setores, a digitalização em curso exige alterações significativas do modelo de negócios para salvaguardar a competitividade. Os participantes no painel sobre a União Económica e Monetária concordaram que as reformas da UEM lançadas após a crise constituem um passo na direção certa, mas progridem a um ritmo demasiado lento e não são suficientemente ambiciosas.

Os membros do Grupo dos Empregadores tiveram igualmente a honra de se encontrar com Ana Pastor, presidente do Congreso de los Deputados (o Parlamento espanhol), e de lhe apresentar as conclusões da conferência. O evento foi organizado conjuntamente pela Confederação Espanhola das Organizações Empresariais (CEOE) e pelo Grupo dos Empregadores do Comité Económico e Social Europeu. (lj)