Investir na computação de alto desempenho beneficiar-nos-á em termos de bem-estar, competitividade e emprego

O CESE apoia a iniciativa da Comissão Europeia de criar a Empresa Comum Europeia para a Computação de Alto Desempenho e afirma que esta tecnologia fundamental ajudará a superar as questões mais complexas enfrentadas pela sociedade hoje e, em última análise, beneficiar-nos-á em termos de bem-estar, competitividade e emprego.

No parecer adotado na reunião plenária de 23 de maio de 2018, elaborado por Ulrich Samm e Antonio Longo, o CESE salienta que a Empresa Comum Europeia para a Computação de Alto Desempenho proporcionará efetivamente valor acrescentado à soberania digital da UE, transformando a União num interveniente crucial no desenvolvimento digital, produzindo um impacto direto na competitividade e na qualidade de vida dos cidadãos.

«O investimento inicial de mil milhões de euros na aquisição e operação de máquinas de supercomputação de craveira mundial é significativo, mas não particularmente ambicioso, especialmente quando comparado com o investimento dos outros principais intervenientes – os EUA e a China», afirmou Ulrich Samm. «A UE precisa de fazer mais para conseguir equiparar-se aos esforços dos nossos concorrentes mundiais», acrescentou. Para manter um nível de classe mundial nas aplicações de computação de alto desempenho será particularmente essencial um aumento substancial dos investimentos nos Estados-Membros da UE, aliado a um sólido programa europeu de investigação e inovação.

O CESE recomenda ainda reforçar o mais possível a dimensão social do processo de digitalização, no quadro do Pilar Social Europeu, definindo um conjunto de desafios societais a ultrapassar utilizando a nova infraestrutura digital. «A aplicação e a utilização de máquinas de alto nível devem ter um impacto positivo claro e mensurável na vida quotidiana de todos os cidadãos», afirmou Antonio Longo. «É por esta razão que defendemos igualmente a criação de uma estratégia de comunicação a nível europeu para informar os cidadãos e as empresas sobre esta importante iniciativa». (mp)