Reunião plenária do CESE comemora o 75.º aniversário da Revolta do Gueto de Varsóvia

Pelo Grupo dos Empregadores do CESE

A reunião plenária do CESE comemorou, com um minuto de silêncio, o 75.º aniversário da Revolta do Gueto de Varsóvia, a maior insurreição armada dos judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

Para assinalar a ocasião, os membros do CESE pregaram na lapela narcisos em papel amarelo, o símbolo da lembrança da revolta. No mesmo dia, foram também distribuídos nas ruas de Varsóvia, na Polónia, símbolos em papel semelhantes.

«É um paradoxo: quanto mais os cidadãos europeus vivem em paz e prosperidade, tanto menos se lembram do desígnio geral que presidiu à criação da UE. Para os fundadores da UE, o objetivo era «Guerra nunca mais!», sublinhou Jacek P. Krawczyk, presidente do Grupo dos Empregadores do CESE, no seu discurso de abertura da comemoração. «Este narciso amarelo não é só o símbolo das vítimas da guerra. É também o símbolo da resistência contra todas as tentativas de dividir a comunidade, de criar muros para separar as pessoas, de segregar as pessoas devido à sua origem», acrescentou.

No seu discurso, Jean-Pierre Haber, membro fundador do CEJI (centro europeu judeu de informação), apelou a todos os representantes da sociedade civil europeia para que tomassem medidas a fim de assegurar que todos os europeus possam viver numa Europa livre e pacífica.

Os historiadores estimam que durante a revolta e a liquidação brutal do gueto, que duraram 20 dias, 7 000 judeus tenham sido abatidos a tiro no local, outros 7 000 enviados para o campo da morte de Treblinka e 36 000 deportados para campos de trabalho forçado. (lj)