Ciganos na Europa continuam a ser vítimas de discriminação e alvos de perfil étnico

A maior minoria da Europa, com mais de dez milhões de pessoas, continua a ser discriminada e marginalizada em muitos Estados-Membros da União Europeia. As ONG defensoras dos direitos humanos e os responsáveis políticos da UE, reunidos no Comité Económico e Social Europeu (CESE), alertaram para o facto de que, em muitos casos, os ciganos continuam a ser abordados pelas forças policiais com base num perfil étnico. Durante a 3.ª edição da Semana do Cigano, realizada pelas instituições da UE em Bruxelas, entre 8 e 12 de abril, teve lugar uma audição pública sobre o tema «Combater a hostilidade em relação aos ciganos nas práticas de definição de perfis étnicos». 

Foi salientado que o maior problema das comunidades ciganas, especialmente na Europa Central e Oriental, continua a ser a sua insuficiente integração na sociedade, que, na maioria dos casos, resulta em pobreza. Os oradores chamaram também a atenção para o aumento das práticas de definição de perfis étnicos associadas às medidas de luta contra o terrorismo e ao reforço do controlo nas fronteiras devido à migração, tendo assinalado que os ciganos estão entre os grupos que são vítimas desta tendência relativamente nova. (ia)