Dirigentes da UE sobre a crise da COVID-19

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia:

Utilizaremos todos os instrumentos à nossa disposição para conter a propagação do #coronavírus, ajudar os doentes e assegurar que a economia europeia sobrevive à tempestade.
Estou convicta de que a UE consegue resistir ao choque que está a afetar os nossos sistemas de saúde e as nossas economias. Mas cabe a cada Estado-Membro assumir plenamente a sua responsabilidade. E à União Europeia no seu conjunto ser determinada, coordenada e unida.

Charles Michel, presidente do Conselho Europeu:

A resposta ao desafio da #COVID-19 exige mais Europa, mobilizada juntamente com os Estados-Membros para conter a propagação do vírus, garantir equipamento médico e acordar nas medidas destinadas a reduzir o impacto económico e social negativo para os nossos cidadãos.

Todo o apoio aos profissionais de saúde que trabalham dia e noite para lutar contra a crise da #COVID-19. Será difícil e moroso, mas estamos unidos nesta luta.

David Sassoli, presidente do Parlamento Europeu:

Estamos a viver um momento muito delicado para a nossa União e para a nossa economia. Não é um momento para palavras superficiais. As instituições da UE estão a preparar um novo pacote de medidas para apoiar os países e as pessoas necessitadas. Este não é o momento para ações unilaterais mas para uma maior cooperação global.

Luca Jahier, presidente do Comité Económico e Social Europeu:

A prova dos nove: somos uma União, ou não somos nada. Todos os Estados-Membros devem unir-se, numa ação concertada e coerente. Agir de forma célere e em conjunto é a única resposta eficaz a uma crise que nos afeta a todos. A integridade da União Europeia depende disso. #Whateverittakes [custe o que custar]

Apostolos Tzitzikostas, presidente do Comité das Regiões:

A UE deve mostrar a sua unidade e ajudar as regiões e os municípios que combatem o #coronavírus na linha da frente. Um mecanismo de emergência sanitária da UE deve ajudar as comunidades locais a contratar novos médicos, a adquirir dispositivos médicos e a apoiar os serviços de cuidados intensivos.

Presto homenagem a todos os dirigentes locais e regionais que estão na linha da frente a trabalhar com profissionalismo, dedicação e coragem na luta contra a #COVID-19. Os meus pensamentos vão para aqueles que pessoalmente pagam um preço elevado.

Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu:

O Banco Central Europeu está empenhado em fazer o seu papel para apoiar todos os cidadãos da área do euro neste período extremamente difícil.

Os tempos excecionais exigem medidas excecionais. Não há limites ao nosso empenhamento no euro. Estamos determinados a utilizar todo o potencial dos nossos instrumentos, no âmbito do nosso mandato.

Josep Borrell Fontelles, alto representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança:

A crise do #coronavírus exige uma resposta global. O apoio aos parceiros, em especial a África, não é só uma questão de solidariedade e de ajuda aos mais vulneráveis – é também no nosso interesse. Não podemos resolver a pandemia apenas nos nossos países, precisamos de a resolver em todo o lado. Caso contrário, voltará.

O apelo a um cessar-fogo imediato a nível mundial pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, é mais importante do que nunca. Só juntos e em paz poderemos ultrapassar a pandemia mundial de #coronavírus. Esta é a verdadeira luta que deve ser travada hoje. A unidade e a solidariedade são as nossas armas. (mr)