O futuro da democracia na Europa está diretamente ligado a uma Europa pacífica e federal

O futuro da democracia na Europa foi debatido numa conferência europeia de dois dias, organizada pelo presidente do CESE, Georges Dassis, no Museu da Acrópole, em Atenas, em 1 e 2 de março. Numa sala cheia de participantes ativos e empenhados, provenientes das instituições da UE, do Governo grego, das organizações da sociedade civil e das universidades, Georges Dassis advogou claramente uma Europa federal, pacífica, que defenda a solidariedade e o bem-estar dos seus cidadãos.

«O populismo, que está a aumentar de forma perigosa nos países europeus, não pode ser combatido com palavras. A União Europeia deve oferecer respostas concretas às necessidades dos cidadãos em matéria de segurança e emprego, e assegurar um futuro para os seus filhos», afirmou o presidente do CESE, Georges Dassis. «Queremos uma União capaz de garantir a igualdade de oportunidades para todos. A fim de combater o populismo e ultrapassar a frustração sentida pelas pessoas mais vulneráveis nos nossos países, é chegado o momento de trazer os aspetos sociais para primeiro plano, sem, evidentemente, deixar que a economia da UE se desmorone.»

Georges Dassis apelou para a criação de um ministro das Finanças europeu, que seja eleito e assegure a prestação de contas. Mencionou as próximas eleições europeias e manifestou o seu apoio à criação de listas transnacionais, que podem garantir que os pontos de vista dos cidadãos são tidos em conta, salientando que «de outra forma, as eleições centrar-se-ão em questões nacionais, não europeias».

Num evento paralelo à conferência, Georges Dassis recebeu um prémio do Comité Económico e Social grego, pela dedicação e apoio demonstrados a favor do diálogo social na Europa. (ks)