You are here

CESE apoia a criação de um centro europeu para a cibersegurança

O CESE apoia a iniciativa da Comissão de criar um centro europeu de competências industriais, tecnológicas e de investigação em cibersegurança e de uma rede de centros nacionais de coordenação. O objetivo é ajudar a União a desenvolver capacidades tecnológicas e industriais de cibersegurança e aumentar a competitividade da indústria da cibersegurança da União.

Num parecer adotado na reunião plenária de janeiro e elaborado em conjunto por Antonio Longo e Alberto Mazzola, o CESE sublinha que a proposta da Comissão é um passo importante para a formulação de uma estratégia industrial para a cibersegurança e fundamental para alcançar uma autonomia digital sólida e ampla. Estes fatores são indispensáveis para reforçar os mecanismos de defesa europeia em resposta à guerra cibernética em curso, a qual pode comprometer os sistemas políticos, económicos e sociais.

«É uma questão que afeta toda a nossa sociedade. Em apenas dez anos, assistimos a um aumento exponencial dos ciberataques em todo o mundo, de 800 mil para 8 milhões», sublinhou Antonio Longo. «Apoiamos a iniciativa da Comissão destinada a criar um centro de competências para coordenar os centros nacionais e servir de ponto de referência para a comunidade da cibersegurança», afirmou.

Uma parceria público-privada em matéria de cibersegurança é uma pedra angular da estratégia. «Apoiamos o alargamento da colaboração ao setor da indústria, com base em compromissos firmes no plano científico e do investimento. Defendemos uma abordagem tripartida que envolva a Comissão Europeia, os Estados-Membros e as empresas», acrescentou Alberto Mazzola. «Temos também de deixar a porta aberta às empresas de países terceiros dispostas a satisfazer as condições da UE para participar», concluiu. (mp)