Línguas disponíveis:

Editorial

Caras leitoras, caros leitores,

Enquanto voz da sociedade civil europeia, o Comité Económico e Social Europeu (CESE) apoia e reconhece o inestimável trabalho das diversas organizações da sociedade civil, dos sindicatos e das organizações de empregadores na UE, que laboram todos os dias, de diferentes formas, para fazer da nossa União um lugar melhor.

Uma vez por ano, o CESE atribui um prémio especial para comemorar e homenagear realizações concretas da sociedade civil da UE num determinado domínio, após cuidadosa seleção de um tema que abranja uma parte importante do seu trabalho. Este ano, atribuímos o Prémio CESE para a Sociedade Civil pela décima primeira vez e tenho o prazer de anunciar que foi dedicado à emancipação das mulheres e às ações em prol da igualdade entre homens e mulheres.

Em síntese

Veja a cerimónia de entrega do Prémio para a Sociedade Civil 2019

Reviva os melhores momentos da cerimónia de entrega dos prémios com o nosso vídeo!

Brochura sobre o Prémio CESE para a Sociedade Civil

O CESE publicou uma brochura que apresenta os cinco projetos vencedores, bem como informação gerais sobre o Prémio para a Sociedade Civil.

Prémio para a Sociedade Civil 2019 nos meios de comunicação social

Notícias do CESE

Associação italiana «Toponímia Feminina» vence Prémio CESE para a Sociedade Civil de 2019 dedicado à igualdade de género

Em 12 de dezembro, o Comité Económico e Social Europeu (CESE) entregou prémios a cinco organizações da sociedade civil que defendem a igualdade de oportunidades para todos os géneros, sensibilizam para o potencial e as conquistas das mulheres e contribuem para a sua emancipação na sociedade e na economia europeias. O prémio de 50 000 euros foi repartido por cinco projetos vencedores. A associação italiana «Toponímia Feminina» recebeu o primeiro prémio, no valor de 14 000 euros. Os outros quatro vencedores receberam 9 000 euros cada um pela seguinte ordem: o movimento «Luta das Mulheres Polacas», a associação búlgara NAIA com o seu projeto «Contos de Fadas», a Associação de Software e Comércio Eletrónico da Finlândia com o seu programa «As Mulheres Codificam», e a rede belga «The Brussels Binder».

Nas palavras dos vencedores

O que se esconde por trás de um nome: a toponímia no combate à disparidade de género

A organização italiana Toponomastica femminile, vencedora do primeiro prémio, dedica-se ao combate às disparidades de género através da atribuição de nomes de mulheres notáveis a lugares como ruas, praças e parques. Maria Pia Ercolini defende que este reconhecimento simbólico das realizações destas mulheres em prol da comunidade pode contribuir enormemente para garantir às mulheres o lugar que lhes é devido na sociedade.

Movimento Strajk Kobiet (Luta das Mulheres Polacas) incentiva mulheres de pequenas cidades a lutar pelos seus direitos

O movimento «Luta das Mulheres Polacas», vencedor do segundo prémio, é um movimento de cidadãos que surgiu na Polónia em 2016 como reação à tentativa do governo de abolir o direito das mulheres ao aborto. Desde então, o movimento tem vindo a crescer em todo o país e dinamizou várias ações que contaram com a participação maciça de mulheres de cidades polacas de pequena e média dimensão. Marta Lempart, que faz parte do movimento, partilha as suas ideias sobre a importância vital desta ação na Polónia de hoje.

 

«Violência doméstica é problema social e não do foro privado», defende associação NAIA

A associação búlgara NAIA, vencedora do terceiro prémio, combate há 20 anos a violência doméstica em pequenas comunidades desfavorecidas através do seu programa de assistência social a vítimas em condições particularmente difíceis. Ao mesmo tempo, dedica-se, como explica Svetla Sivcheva na entrevista, à prevenção, trabalhando com crianças de tenra idade para explorar formas de desconstruir e superar os estereótipos sociais, a fim de lhes abrir os horizontes e permitir a realização do seu potencial.

Projeto #mimmitkoodaa penetra baluarte da segregação de géneros: o setor das tecnologias da informação

A principal missão da associação finlandesa de software e comércio eletrónico «Ohjelmisto- ja e-business ry», vencedora do quarto prémio, é aumentar o número de mulheres com conhecimentos de informática. A referida associação organiza sessões gratuitas de aprendizagem prática para mulheres sem experiência anterior de programação, ajudando-as a prosperar no setor informático. Rasmus Roiha e Milja Köpsi revelaram-nos a filosofia do #mimmitkoodaa e a forma como a organização tenciona utilizar o dinheiro do prémio.

The Brussels Binder: dar cara nova aos painéis de oradores em Bruxelas

Bruxelas acolhe um grande número de debates por ano. Dois terços dos oradores desses painéis são do sexo masculino. No entanto, há muitas mulheres que poderiam trazer experiência e diversidade aos debates da UE. A criação de uma plataforma que possa funcionar como ponto de encontro entre especialistas do sexo feminino e organizadores de painéis de debate à procura de oradores tem sido a base da estratégia da The Brussels Binder para combater este desequilíbrio. O CESE Info falou com Juliane Schmidt sobre a estratégia global da associação para mudar o rosto masculino dos painéis de oradores em Bruxelas.