Safe Passage: manter viva a cultura dos direitos humanos

A organização britânica, que luta para oferecer a crianças refugiadas vias seguras e legais para chegar ao Reino Unido, utilizará o dinheiro do seu prémio para atingir o seu objetivo de reinstalar 10 000 crianças ao longo de 10 anos, explica ao CESE Info Charlotte Morris, responsável pelo departamento de comunicação e desenvolvimento da organização.

CESE Info: Pode explicar o que este prémio significa para si e para a sua organização?

Safe Passage: O prémio testemunha a nossa firme determinação em colocar a dignidade humana e os direitos humanos no centro do nosso trabalho. Sabemos que estes valores são partilhados por cidadãos de toda a Europa e que perdurarão, apesar das incertezas do futuro.

Que conselhos daria a outras organizações para obterem bons resultados em atividades e programas deste tipo?

Na Safe Passage estamos determinados a abrir vias seguras e legais para os refugiados. A nossa equipa e os nossos parceiros têm uma atitude decidida e baseada na ação, e o facto de sermos uma pequena organização também ajuda.

Como usarão este financiamento específico para ajudar a comunidade?

Este prémio ajudar-nos-á a prosseguir a nossa campanha para oferecer a um maior número de crianças refugiadas acesso a uma passagem segura, nomeadamente através das seguintes ações:

EM PRIMEIRO LUGAR, defender o direito das crianças refugiadas na Europa ao reagrupamento familiar no Reino Unido, agora e depois do Brexit.

EM SEGUNDO LUGAR, prosseguir a nossa campanha para que o Governo britânico se comprometa a reinstalar 10 000 crianças refugiadas ao longo dos próximos 10 anos.

e, EM TERCEIRO LUGAR, trabalhar em prol de uma mudança positiva na opinião pública relativamente à proteção dos refugiados no Reino Unido, e de forma mais geral em toda a Europa.

Quais serão as consequências do Brexit para o vosso trabalho?

Elaborámos um plano para assegurar que o Brexit não afetará as nossas atividades. Conseguimos que fosse aprovada uma alteração à Lei sobre a saída do Reino Unido da UE para permitir que as crianças refugiadas continuem a beneficiar do reagrupamento familiar no Reino Unido após o Brexit. Continuaremos também a reunir refugiados e as suas famílias em toda a Europa.